quinta-feira, 29 de setembro de 2011

PRIMAVERA

PRIMAVERA
 
A primavera no prado
Toda vestida de flores
Trouxe lençóis multicores
Que brilham ao sol dourado.
 
                    Parece a festa das cores
                    No caminho perfumado,
                    Para a alegria do arado
                    E a paz dos trabalhadores.
 
Minúsculos passarinhos
Entoam, nos altos ninhos,
Cantos de amor e inocência...
 
                    A Natureza revela,
                    Sublime, ditosa e bela,
                    As luzes da Providência!...
 
Livro:  Jardim da Infância
            Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito João de Deus
            FEB – Federação Espírita Brasileira

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

domingo, 25 de setembro de 2011

MENSAGEM DA CRIANÇA



Dizes que sou o futuro.
Não me desampares no presente.
Dizes que sou a esperança da paz.
Não me induzas à guerra.
Dizes que sou a promessa do bem.
Não me confies ao mal.
Dizes que sou a luz dos teus olhos.
Não me abandones às trevas.
Não espero somente o teu pão.
Dá-me luz e entendimento.
Não desejo tão só a festa de teu carinho.
Suplico-te amor com que me eduques.
Não te rogo apenas brinquedos.
Peço-te bons exemplos e boas palavras.
Não sou simples ornamento de teu caminho.
Sou alguém que te bate à porta em nome de Deus.
Ensina-me o trabalho e a humildade, o devotamento e o perdão.
Compadece-te de mim e orienta-me para o que seja bom e justo...
Corrige-me enquanto é tempo, ainda que eu sofra...
Ajuda-me hoje para que amanhã eu não te faça chorar.

Espírito: MEIMEI
Médium: Francisco Cândido Xavier
Livro: Antologia da Criança - Edição FEB
créditos : http://despestardaalma.blogspot.com/2011/09/mensagem-de-emmanuel-

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Sobre violência Infantil


Aula sobre violência Infantil: pedofilia, bullying, exploração infantil e violência moral

http://dicasdeevangelizacaoinfantil.blogspot.com/
Hoje eu irei postar uma aula que eu pude dar ontem pela primeira vez e fiquei extremamente feliz com o resultado, muito satisfeita. É um tema que eu estudei bastante para poder passar ele de uma forma que não esquecesse de nada e que não ficasse nada pra trás. O tema é violência infantil. É um tema que acho extremamente importante de ser tratado com as crianças. Atualmente as informações estão sendo passadas de forma rápida, temos internet, jornais, a TV nos mostra tanta coisa... e temos que mostrar pra nossas crianças sobre a violência infantil abusos que elas podem estar sofrendo de adultos e que elas nem sabem e que no futuro pode trazer sérias consequências para elas.
Sempre quis dar uma aula para crianças que falasse sobre violência sexual por exemplo, a pedofilia, que existe a anos mas é mascarada, escondido das crianças que as vezes até sofrem essa violencia mas nao sabem. Elas precisam saber dessas informações, que existem pessoas muito boas no mundo mas que ainda vivemos num mundo de prova e expiações onde tem pessoas malvadas e cheias de más intenções e é nossa obrigação, pais, educadores, evangelizadores, informar essas crianças. Meus objetivos não colocarei no infinitivo como devem ser os objetivos,

OBJETIVOS

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Violência na infância

Estou muito feliz por encontrar blogs voltados a 
crianças recomendo este, que esta trazendo um matéria
violência na infância .

Alzheimer: uma moléstia espiritual.





 
Alzheimer: uma moléstia espiritual.
É Possível Evitar
Por.: Dr. Américo Marques Canhoto
Américo Marques Canhoto, médico especialista, casado, pai de quatro filhos. Nasceu em Castelo de Mação, Santarém, Portugal. Médico da família desde 1978. Atualmente, atende em São Bernardo do Campo e São José do Rio Preto - Estado de São Paulo - BR.
Conheceu o Espiritismo em 1988. Recebia pacientes que se diziam indicados por um médico: Dr. Eduardo Monteiro. - Procurando por este colega de profissão, descobriu que esse médico era um espírito, que lhe informou: Alzheimer acima de tudo é uma moléstia que reflete o isolamento do espírito.
Queremos dividir com os leitores um pouco de algumas das observações pessoais a respeito dessa moléstia, fundamentadas em casos de consultório e na vida familiar - dois casos na família.
Achamos importante também analisar o problema dos 'cuidadores'do doente (família). 

Além de trazer à discussão o problema da precocidade com que as coisas acontecem no momento atual.
Será que as projeções estatísticas de alguns anos atrás valem para hoje? 
Serão confiáveis como sempre foram?
Se tudo está mais precoce, o que impede de doenças com possibilidade de surgirem lá pelos 65 anos de idade apareçam lá pela casa dos 50 ou até menos?
Alerta
- É incalculável o número de pessoas de todas as idades (até crianças) que já apresentam alterações de memória recente e de déficit de atenção (primeira fase da doença de Alzheimer). Lógico que os motivos são o estilo de vida atual, estresse crônico, distúrbios do sono, medicamentos, estimulantes como a cafeína e outros etc.
Mas, quem garante que nosso estilo de vida vai mudar? 
Então, quanto tempo o organismo suportará antes de começar a degenerar?
É possível que em breve tenhamos jovens com Alzheimer?

Alguns traços de personalidade das pessoas portadoras de Alzheimer
Em nossa experiência, temos observado algumas características que se repetem:

a) Costumam ser muito focadas em si mesmas. 
b) Vivem em função das suas necessidades e das pessoas com as quais criam um processo de co-dependência e até de simbiose. 
c) Seus objetivos de vida são limitados (em se tratando de evolução). 
d) São de poucos amigos. 
e) Gostam de viver isoladas. 
f) Não ousam mudar. 
g) Conservadoras até o limite. 
h) Sua dieta é sempre a mesma. 
i) Criam para si uma rotina de 'ratinho de laboratório'. 
j) São muito metódicas. 
k) Costumam apresentar pensamentos circulares e idéias repetitivas bem antes da doença se caracterizar. 
l) Cultivam manias e desenvolvem TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) com freqüência. 
m) Teimosas, desconfiadas, não gostam de pensar. 
n) Leitura os enfastia. 
o) Não são chegadas em ajudar o próximo. 
p) Avessas á prática de atividades físicas. 
q) Facilmente entram em depressão. 
r) Agressivas contidas. 
s) Lidam mal com as frustrações que sempre tentam camuflar. 
t) Não se engajam. 
u) Apresentam distúrbios da sexualidade como impotência precoce e frigidez. 
v) Bloqueadas na afetividade e na sexualidade. Algumas têm dificuldades em manifestar carinho, para elas um abraço, um beijo, um afago requer um esforço sobre-humano.
Gatilhos que costumam desencadear o processo
- Na atualidade a parcela da população que corre mais risco, são os que se aposentam - especialmente os que se aposentam cedo e não criam objetivos de vida de troca interativa em seqüência. Isolam-se.

- Adoram TV porque não os obriga a raciocinar, pois não gostam de pensar para não precisar fazer escolhas ou mudanças.

- Avarentos de afeto e carentes de trocas afetivas quando não podem vampirizar os parentes, deprimem-se escancarando as portas para a degeneração fisiológica e principalmente para os processos obsessivos. Nessa situação degeneram com incrível rapidez, de uma hora para outra.
Alzheimer e mediunidade

- No decorrer do processo os laços fluídicos ficam tão flexíveis que eles falam com pessoas que não enxergamos nem sentimos.
Chegam a transmitir o que dizem os desencarnados ou são usados de forma direta para comunicações. 

Esta condição fluídica permite que acessem com facilidade ao filme das vidas passadas (bem mais a última) - muitas vezes nesses momentos, nos nomeiam e nos tratam como se fossemos outras pessoas que viveram com eles na última existência e nos relatam o que 'fizemos'juntos, caso tenhamos vivido próximos na última existência.
Vale aqui uma ressalva, esse fato ocorre em muitos doentes terminais e em algumas pessoas durante processos febris.
Obsessão
- É bem comum que a doença insidiosamente se instale através de um processo arquitetado por obsessores, pois os que costumam apresentar essa doença não são muito adeptos da ajuda ao próximo e do amor incondicional; daí ficam vulneráveis às vinganças e retaliações.
É raro que bons tarefeiros a serviço do Cristo transformem-se em Alzheimer.
Mas, quem é ou quais são os alvos do processo obsessivo? 
O doente ou a família?
Alzheimer - o umbral para os ainda encarnados

- O medo de dormir reflete, dentre outras coisas, as companhias espirituais nada agradáveis.
Os 'cuidadores' desses pacientes tem mil histórias a contar e muitos depoimentos a fazer. Esse assunto merece muitos comentários.
O espírito volta para a vitrine
- Tal e qual o espírito que reencarna; pois na infância nosso espírito está na vitrine, já que ainda não sofreu a ação da educação formal.
Esse tipo de doença libera toda a nossa real condição que, perde as contenções da personalidade formal e mostra sua verdadeira condição: nua e crua.
Para quê? 
Quem pode se beneficiar com isso? 
Serão os familiares mais atentos? 
Os profissionais da saúde? 

Como médico, tive um caso curioso, nosso paciente se beneficiava na parte cognitiva com a medicação específica mas, tivemos que suspendê-la, pois, ele que antes parecia um 'docinho de coco', com o evoluir da doença, mostrou sua personalidade agressiva e manifestava-se de tal forma que chegou a ser expulso de uma clínica especializada pois, do nada, agredia os outros internos - na decisão de consenso optou-se por manter as tradicionais 'camisas de força'
(remédios que todos conhecem).
Os cuidadores
- Mesmo com medo de ter que 'cuidar de uma antiga criança mal educada' como se tornam os portadores dessa doença; ela não deixa de ser uma oportunidade ímpar de desenvolvermos qualidades espirituais a 'toque de caixa'.
Feliz de quem encara essa tarefa sem dia sem noite, sem férias. Pena que algumas pessoas não sejam capazes de suportar tal tarefa com calma - Quem se arrisca a encarar com bom humor e realizar o que for possível ajudando a esse irmão?
Serão os cuidadores vítimas ou felizardos? 
O que isso tem a ver com o passado? Cada qual que decida...

Quantos cuidadores se tornarão doentes?
- Alerta:'Cuidadores'costumam não aprender nada e, repetem a lição para os outros, tornam-se ferramentas de aprendizado. 
O que é possível aprender como cuidador? 
Paciência, tolerância, aceitação, dedicação incondicional ao próximo, desprendimento, humildade, inteligência, capacidade de decidir por si e pelo outro.
Amor.
Para o 'cuidador'é diferente o Alzheimer rico do pobre?

- O que mais se vê é o pobre sendo cuidado pela família e o rico sendo cuidado por terceiros.
Quem ganha o quê e quanto? 
Terceirizar tem algum mérito?
Tornar-se doente de Alzheimer na classe média é uma loteria; por quem ou onde seremos 'cuidados'?

Cuidador ou responsável?
- Tal e qual na infância temos pais ou responsáveis, neste caso vale a mesma analogia.

O que o cuidador ganha ou perde?

- Vale a pena abdicar de uma tarefa de vida para cuidar de uma pessoa que tudo fez para ficar nessa condição de necessitado?

- Quem ou o que dita os valores? 
- Quem ganha ou perde o que? Em que condições?

- Na dúvida chame Jesus, Ele explica tudo muito bem...

O problema da obsessão
- Quem obsidia quem?
Cuidador e doente são antigos obsessores um do outro - não é preciso recuar muito no tempo, pois mesmo nesta existência, com um pouco de honestidade dá para analisar o processo em andamento; na dúvida basta analisar as relações familiares, como as coisas ocorreram. 
Não foi possível? - não importa; basta que hoje, no decorrer do processo da doença, avaliemos o que nos diz o doente nas suas 'crises de mediunidade':
- você fez isso ou aquilo, agora vai ver! - preste muita atenção em tudo que o doente diz, pois aí, pode estar a chave para entendermos a relação entre o passado e o presente.

Quem ganha e quem perde a briga?
O doente parece estar em situação desfavorável, pois aparentemente perdeu a capacidade de arquitetar, decidir - mas, quem sabe ele abriu mão disso, para tornar-se simples instrumento de outros desencarnados que estão em melhores condições de azucrinar a vida do inimigo (alianças e conchavos) - Quem sabe?

A dieta influencia
- Os portadores da doença costumam ter hábitos de alimentação sem muita variação centrada em carboidratos e alimentos industrializados. 
Descuidam-se no uso de frutas, verduras e legumes frescos, além de alimentos ricos em ômega 3 e ômega 6;
Devem consumir mais peixe e gorduras de origem vegetal (castanha do Pará, nozes, coco, azeite de oliva extra virgem, óleo de semente de gergelim). 
Estudos recentes mostram que até os processos depressivos podem ser atenuados ou evitados pela mudança de dieta.
Doença silenciosa?

- Nem tanto, pois avisos é que não faltam, desde a infância analisando e estudando as características da criança, é possível diagnosticar boa parte dos problemas que se apresentarão para serem resolvidos durante a atual existência, até o problema da doença de Alzheimer. 
Dia após dia, fase após fase o quadro do que nos espera no futuro vai ficando claro.
Fique esperto:Evangelize-se(no sentido de praticarnão de apenas conhecer) para não precisar voltar a usar fraldas.
O mal de Alzheimer é hereditário? 
Pode ser transmitido?

- Sim pode, mas não de forma passiva inscrito no DNA, e sim, pelo aprendizado e pela cópia de modelos de comportamento.
Lógico que pode ser contagioso; mas pela convivência descuidada fruto de uma educação sem Evangelização.
Remédios resolvem?

- Ajudar até que ajudam; mas resolver é impossível, ilógico e cruel se, possível fosse - pois, nem todos tem acesso a todos os recursos ao mesmo tempo.

Remédios usados sem a contrapartida da reforma no pensar, sentir e agir podem causar terríveis problemas de atraso evolutivo individual e coletivo; pois apenas abrandam os efeitos sem mexer nas causas. Tapam o sol com a peneira.

Remédios previnem?
- Claro que não - apenas adiam o inexorável. 
Quanto a isso, até os cientistas mais agnósticos concordam. 
Um dos mais eficazes remédios já inventados foram os grupos de apoio à terceira idade.
A convivência saudável e as atividades que possam ser feitas em grupo geram um fluxo de energia curativa. 
A doença de Alzheimer acima de tudo é uma moléstia que reflete o isolamento do espírito que se torna solitário por opção.
O interesse pelos amigos é um bom remédio.

Qual a vacina?
- Desde que saibamos separar a vacina ativa da passiva. 
O ato de nos vacinarmos contra a doença de Alzheimer é o de estudar as características de personalidade, caráter e comportamento dos que a vivenciam, para que não as repitamos. 
A melhor e mais eficiente delas é o estudo, o desenvolvimento da inteligência, da criatividade e a prática da caridade.
Seguir ao pé da letra o recado que nos deixou o Espírito da Verdade:
'Amai-vos e instruí-vos'.
Quer evitar tornar-se um Alzheimer?

Torne sua vida produtiva, pratique sem cessar o perdão e a caridade com muito esforço e inteligência.
Muito mais há para ser analisado e discutido sobre este problema evolutivo que promete nos visitar cada dia mais precocemente, além das dúvidas que levantamos esperamos que os interessados não se furtem ao saudável debate.
__._,_.___

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

sábado, 17 de setembro de 2011

O Espiritismo

O Espiritismo

5. O Espiritismo é a ciência nova que vem revelar aos homens, por meio de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e as suas relações com o mundo corpóreo. Ele no-lo mostra, não mais como coisa sobrenatural, porém, ao contrário, como uma das forças vivas e sem cessar atuantes da Natureza, como a fonte de uma imensidade de fenômenos até hoje incompreendidos e, por isso, relegados para o domino do fantástico e do maravilhoso. E a essas relações que o Cristo alude em muitas circunstâncias e dai vem que muito do que ele disse permaneceu ininteligível ou falsamente interpretado. O Espiritismo é a chave com o auxilio da qual tudo se explica de modo fácil. 
6. A lei do Antigo Testamento teve em Moisés a sua personificação; a do Novo Testamento tem-na no Cristo. O Espiritismo é a terceira revelação da lei de Deus, mas não tem a personificá-la nenhuma individualidade, porque é fruto do ensino dado, não por um homem, sim pelos Espíritos, que são as vozes do Céu, em todos os pontos da Terra, com o concurso de uma multidão inumerável de intermediários. É, de certa maneira, um ser coletivo, formado pelo conjunto dos seres do mundo espiritual, cada um dos quais traz o tributo de suas luzes aos homens, para lhes tornar conhecido esse mundo e a sorte que os espera. 

7. Assim como o Cristo disse: "Não vim destruir a lei, porém cumpri-la", também o Espiritismo diz: "Não venho destruir a lei cristã, mas dar-lhe execução." Nada ensina em contrário ao que ensinou o Cristo; mas, desenvolve, completa e explica, em termos claros e para toda gente, o que foi dito apenas sob forma alegórica. Vem cumprir, nos tempos preditos, o que o Cristo anunciou e preparar a realização das coisas futuras. Ele é, pois, obra do Cristo, que preside, conforme igualmente o anunciou, à regeneração que se opera e prepara o reino de Deus na Terra. 

   
(Obra: O Evangelho Segundo o Espiritismo - Capítulo I)

 

Termo espírita


* Kardec e a ambiguidade do termo espírita


Kardec e a ambiguidade do termo espírita

Embora tenha sido criado por Kardec, o vocábulo espírita – neologismo que surgiu juntamente com os vocábulos Espiritismo e perispírito, também criados pelo Codificador da doutrina espírita – em pouco tempo revelou-se ambíguo. O adjetivo ambíguo significa o que se pode tomar em mais de um sentido, indeterminado, impreciso, incerto. 
Quem o disse foi o próprio Codificador, conforme texto que podemos ler na parte final do livro Obras Póstumas
Segundo Kardec, o título de espírita - e mesmo de espírita convicto - não indica, de nenhum modo, a medida da crença. Uma assembleia na qual se convocassem todos aqueles que se dizem espíritas apresentaria um amálgama de opiniões divergentes que não saberiam se assimilar e não desembocariam em nada de sério. Essa falta de precisão, inevitável no início e durante o período de elaboração, frequentemente causou equívocos lamentáveis, naquilo que fez atribuir à Doutrina o que não era senão o abuso ou um desvio. E foi em consequência dessa falsa aplicação, que é diariamente feita da qualidade de espírita, que a crítica pôde encontrar matéria para a zombaria.  
As palavras que lemos foram escritas por Kardec e, no entanto, mais de um século depois, podemos dizer que a ambiguidade do termo espírita persiste e até se ampliou no caso brasileiro, como se viu recentemente na polêmica acerca do Censo 2010, havendo em nosso meio quem sugira o uso do vocábulo kardecista para evitar tal ambiguidade, embora todos saibamos que o próprio Codificador repudiou a expressão “doutrina de Allan Kardec”, como podemos conferir à vista do seguinte trecho constante do livro O que é o Espiritismo
“Há entre o Espiritismo e outros sistemas filosóficos esta diferença capital; que estes são todos obra de homens, mais ou menos esclarecidos, ao passo que, naquele que me atribuís, eu não tenho o mérito da invenção de um só princípio. Diz-se: a filosofia de Platão, de Descartes, de Leibnitz; nunca se poderá dizer: a doutrina de Allan Kardec; e isto, felizmente, pois que valor pode ter um nome em assunto de tamanha gravidade? O Espiritismo tem auxiliares de maior preponderância, ao lado dos quais somos simples átomos”. (O que é o Espiritismo, Elementos de convicção, pág. 120.
Foi essa ambiguidade – aliada certamente à falta de conhecimento dos princípios espíritas – que produziu mais um desses episódios em que um jornal de renome atribuiu ao Espiritismo fato que é inteiramente estranho ao que aprendemos nas obras da doutrina espírita. 
Veja o que nosso estimado colaborador Gerson Simões Monteiro, colunista do jornal Extradesde abril de 1998 e ex-presidente da União das Sociedades Espíritas do Estado do Rio de Janeiro, atual CEERJ (Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro), escreveu ao jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, editor da coluna Gente Boa do jornal O Globo
Prezado Jornalista Joaquim Ferreira dos Santos,        
Na nota "Lei Seca Espiritual", publicada em sua coluna na edição de domingo (21/08/2011) do jornal O Globo, foi divulgado que "O Centro Espírita Bezerra de Menezes, no Estácio, está proibindo seus cambonos de tomar cachaça no processo ritualístico de se elevar até aos santos daquele terreiro. A medida serve também para os fiéis. Procura-se com isso evitar que, na saída do transe, os espíritas tenham problemas com os terráqueos da Lei Seca”. 
Revela-se na nota uma total incoerência, uma vez que os termos usados dizem respeito a Umbanda, não havendo motivo para que sejam confundidos com o Espiritismo, doutrina codificada por Allan Kardec. 
Acredito que isso já é consequência do Jornalista não precisar frequentar os bancos da Faculdade para exercer a venerável profissão, pois nos erros cometidos na curta nota vê-se total desconhecimento da cadeira de Antropologia, ministrada nos Ciclos Básicos dos cursos de Jornalismo, na qual é ensinado que historicamente a Umbanda teve início em nosso país no século XVI, com a vinda dos nossos irmãos africanos através da escravatura do negro no Brasil, os quais incorporaram impositivamente rituais do catolicismo às suas crenças de origem.  
Já o Espiritismo teve início na França, a partir de 18 de abril de 1857, com a publicação de "O Livro dos Espíritos", que chegou ao Brasil por volta de 1860. Portanto, a Doutrina Espírita não tem vínculo algum com cultos de origem africana, seitas ou rituais de magismo, pois não resulta de qualquer forma de sincretismo religioso e muito menos vinculado se encontra a outras práticas assemelhadas, como é o caso da Umbanda, que está mais próxima do Catolicismo do que de qualquer outro culto religioso adotado no Brasil. 
Além do mais, no Espiritismo não há função sacerdotal. Por essa razão ele não adota de forma alguma denominações como pai-de-santo, cambono e outras do gênero.  
Assim sendo, vale frisar que o espírita (neologismo criado por Allan Kardec) é o seguidor do Espiritismo, doutrina por ele codificada que não adota rituais de espécie alguma, não faz uso de bebidas alcoólicas, nem tampouco usa imagens de santos ou de entidades de cultos africanos nos Centros Espíritas. 
Outro fato ainda que não pode ser deixado de lado é o de que o IBGE, de acordo com as determinações estabelecidas pelo Ministério da Justiça diante da realidade brasileira, faz a distinção em seus questionários para fins de coleta de dados, inclusive os dos Censos de 2000 e 2010, separando Católicos, Evangélicos, Espíritas, Umbandistas e Candomblecistas. 
Certo de estar colaborando para que esta renomada coluna e o jornal informem com precisão os fatos para seus leitores, agradeço a atenção dispensada e coloco-me a sua inteira disposição, para qualquer esclarecimento posterior. (Assinado: Gerson Simões Monteiro.) 
A atitude do confrade Gerson Simões Monteiro merece o nosso aplauso e o nosso apoio, porque só agindo assim é que poderemos prestar ao grande público a informação correta, concorrendo para que se reduza o preconceito, que é ainda muito grande, com relação aos assuntos que dizem respeito à doutrina codificada por Allan Kardec.

Enviado por Samuel Lima

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

quinta-feira, 15 de setembro de 2011


Desenhos - A Paz

Tem mais desenho no blog evangelização Espírita

Foto de Kardec

postado por Luciene Miranda Beheraborde emAULAS PARA EVANGELIZAÇÃO INFANTIL ESPIRITA

Mensagem Psicofônica Dr. Bezerra de Menezes na 58ª Semana Espírita Vitór...

Deus é eterno.

http://marcosianoski.blogspot.com




Atributos da Divindade

10 O homem pode compreender a natureza íntima de Deus? 
– Não, falta-lhe, para isso, um sentido.

11 Um dia será permitido ao homem compreender o mistério da Divindade? – Quando seu Espírito não estiver mais obscurecido pela matéria e, pela sua perfeição, estiver mais próximo de Deus, então o verá e o compreenderá.
  
    A inferioridade das faculdades do homem não lhe permite compreender a natureza íntima de Deus. Na infância da humanidade, o homem O confunde muitas vezes com a criatura, da qual lhe atribui as imperfeições; mas, à medida que o senso moral nele se desenvolve, seu pensamento compreende melhor o fundo das coisas e ele faz uma idéia de Deus mais justa e mais conforme ao seu entendimento, embora sempre incompleta. 
12 Se não podemos compreender a natureza íntima de Deus, podemos ter idéia de algumas de suas perfeições?
– Sim, de algumas. O homem as compreende melhor à medida que se eleva acima da matéria. Ele as pressente pelo pensamento.

13 Quando dizemos que Deus é eterno, infinito, imutável, imaterial, único, todo-poderoso, soberanamente justo e bom, não temos uma idéia completa de seus atributos? – Do vosso ponto de vista, sim, porque acreditais abranger tudo. Mas ficai sabendo bem que há coisas acima da inteligência do homem mais inteligente e que a vossa linguagem, limitada às vossas idéias e sensações, não tem condições de explicar. A razão vos diz, de fato, que Deus deve ter essas perfeições em grau supremo, porque se tivesse uma só de menos, ou que não fosse de um grau infinito, não seria superior a tudo e, por conseguinte, não seria Deus. Por estar acima de todas as coisas, Ele não pode estar sujeito a qualquer instabilidade e não pode ter nenhuma das imperfeições que a imaginação possa conceber.

    Deus é eterno. Se Ele tivesse tido um começo teria saído do nada, ou teria sido criado por um ser anterior. É assim que, de degrau em degrau, remontamos ao infinito e à eternidade.

É imutável; se estivesse sujeito a mudanças, as leis que regem o universo não teriam nenhuma estabilidade.
É imaterial, ou seja, sua natureza difere de tudo o que chamamos matéria; de outro modo não seria imutável, porque estaria sujeito às transformações da matéria.
É único; se houvesse vários deuses, não haveria unidade de desígnios, nem unidade de poder na ordenação do universo.
É todo-poderoso, porque é único. Se não tivesse o soberano poder, haveria alguma coisa mais ou tão poderosa quanto Ele; não teria feito todas as coisas e as que não tivesse feito seriam obras de um outro Deus.
É soberanamente justo e bom. A sabedoria providencial das Leis Divinas se revela nas menores como nas maiores coisas, e essa sabedoria não permite duvidar de sua justiça nem de sua bondade. 

   (O Livro dos Espíritos - Perguntas 10,11,12 e 13)


******
 


O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.
E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.

(Bíblia Sagrada - Romanos 8:16 e 17)


O Espírito de Deus me fez, e a inspiração do Todo-Poderoso me dá vida.

(Bíblia Sagrada - Jó 33:4)


******