sexta-feira, 27 de maio de 2011

Aula lei da conservação/desperdícios




Lei de Conservação – Desperdícios

Parte 3ª, capítulo V de O Livro dos Espíritos


         Prece inicial

         Objetivos da aula:

         * Reconhecer que o desperdício é um gesto de egoísmo e de desrespeito à natureza e ao próximo;

         * Identificar as atitudes de desperdícios que praticamos todos os dias;

         * Construir um quadro de ações que evitem o desperdício.

         Bibliografia utilizada: O Livro dos Espíritos.

         Primeiro momento: realizar o Jogo da Vida (antiga Forca), com a palavra tema da aula: "Desperdício". Discutir com a turma o significado da palavra.

         Obs.: o Jogo da Vida utiliza a mesma sistemática do Jogo Forca, mas no lugar de desenhar o bonequinho quando as crianças erram a letra, deve ser desenhado quando elas acertam, com o objetivo de concluir o desenho do bonequinho. Quem acertar a palavra vai ao quadro e completa o desenho. As crianças gostam muito! O desenho pode ser iniciado pelos pés, ou pela cabeça.

         Explicar às crianças, se necessário, que não se trata de Jogo da Forca, porque não devemos enforcar ninguém, nem em uma brincadeira.

         Segundo momento: levar exemplares de O Livro dos Espíritos, para que os evangelizandos vão se familiarizando com as Obras Básicas. No caso de não ser possível levar um livro para cada um, pode-se fazer duplas ou trios ou levar as perguntas a serem trabalhadas em tiras de papel. Pedir que localizem em O Livro dos Espíritos, as perguntas de número 711, 715, 719, 922 e 923. Oportunizar alguns minutos para que as crianças leiam e tentem entender as perguntas e respostas. O evangelizador, se necessário, poderá auxiliar os grupos no entendimento do proposto.

         Terceiro momento: pedir a um voluntário (ou sortear os grupos para que eles apresentem) para ler a pergunta e explicar o que Kardec quis dizer com aquela pergunta. Outro voluntário lerá a resposta e explicará à turma a resposta lida. Depois de dadas as explicações pelos evangelizandos, o evangelizador deverá complementar as respostas, usando exemplos do dia-a-dia das crianças, desenvolvendo o tema da aula.

         Abaixo sugestões para orientar o evangelizador no desenvolvimento das idéias:

          Quais são os bens da Terra? A natureza, moradia, transporte, alimentação, roupas, escola. Devemos preservar os bens terrenos cuidando do lugar onde moramos, da nossa escola, atentando para que não haja desperdício de comida e água, roupas e brinquedos em excesso, ou má utilização da natureza, como destruição.

          Vivemos um projeto de vida para termos o mínimo necessário para viver e evoluir, mas muitas vezes utilizamos mal os bens que temos. Em uma outra encarnação podemos vivenciar a falta daquilo que não valorizamos anteriormente.

          O limite dos bens Terrenos é o da necessidade de cada um. Ex: comer em excesso pode ocasionar doenças e até mesmo a morte.

          Não é errado procurar o bem-estar, desde que seja de modo honesto, trabalhando de modo correto para conseguir as coisas Terrenas, sem roubar e sem ficar triste se não tem todas as coisas que gostaria.

          O que é necessário? O que é supérfluo? Como fazer a diferença?

          Explicar o que é a posse do necessário (o que é necessário para que vivamos com equilíbrio, sem excessos e sem revolta pelo que não temos), consciência tranqüila (certeza de que estamos fazendo o nosso melhor a cada dia, nos esforçando para ter bons pensamentos e atitudes no bem) e fé no futuro (confiar em Deus e realizar a nossa parte). O Livro dos Espíritos, questão 922.

          Por intuição ou por experiência podemos compreender o que faz bem ao nosso corpo e a nossa alma (que somos). Os excessos podem nos prejudicar e aos outros, pois o que nos sobra pode faltar a outras pessoas. Quem desperdiça não está sendo caridoso (a caridade integral pode ser compreendida como todo o bem ao nosso alcance).

          Muitas vezes colocamos nossa atenção em coisas que não são necessárias e sofremos se não as temos; às vezes guardamos para "ter" e não usamos! Exemplos: roupas guardadas até amarelar ou que não nos servem, roupas em excesso quando tem tantas pessoas que não tem o que vestir, água correndo no chuveiro ou em torneiras, comida que sobra no prato; brinquedos em excesso. Não cuidar do que temos também é desperdiçar: livros, brinquedos, material escolar.

         Quarto momento: propor a elaboração individual (ou em grupos) de um quadro: Desperdícios x Ações para Evitar.

         Levar folhas de ofício com as duas colunas escritas (Desperdícios x Ações para Evitar). Pedir que cada criança ou grupo complete o quadro, que pode ser comentado no grande grupo ao final.

         Exemplos que podem surgirem na aula:

          desperdício de água - não deixar a torneira aberta enquanto escova os dentes, banhos mais rápidos, não deixar torneiras pingando, não usar a água como vassoura para lavar as calçadas.

          não deixar comida no prato - servir apenas o que vai comer ou em pequenas quantidades.

          não deixar as roupas amarelarem no armário sem uso - doar as roupas que não nos servem mais ou que não são usadas.

          guardar brinquedos que não usamos mais - doar às crianças que não tem brinquedos para que elas possam brincar.

          lâmpadas acessas ou TV ligada mesmo sem ninguém no ambiente – apagar a luz, desligar a TV se ninguém estiver assistindo.

         Prece de encerramento

         Sugestão: segundo e terceiro ciclos.


         Aula baseada em material enviado por Lilia Pinheiro, evangelizadora da Casa Espírita Missionários da Luz, em Curitiba/PR.