quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Brasil reconhece Chico Xavier...‏

Brasil reconhece Chico Xavier...‏:

NO DIA DE ALLAN KARDEC – 3 DE OUTUBRO –, CHICO XAVIER É ELEITO O BRASILEIRO MAIS IMPORTANTE DE TODOS OS TEMPOS
Carlos A. Baccelli
Na noite do dia do nascimento de Allan Kardec, 3 de outubro, Chico
Xavier, em referendo promovido pelo SBT – Sistema Brasileiro de
Televisão –, com 71,4% dos votos, é eleito o “brasileiro mais
importante de todos os tempos”!
Parece, sem dúvida, que o Mundo Espiritual, fora do âmbito do
Movimento Espírita, preparou esta mensagem para todos os brasileiros,
mas, principalmente, para os adeptos do Espiritismo.
Veja quem tenha olhos de ver e ouça quem tenha ouvidos de ouvir!
Concorrendo com dois finalistas, dos considerados 100 maiores
brasileiros da história, Chico, através de escrutínio popular, venceu
a Princesa Isabel, que assinou a “Lei Áurea”, e a Santos Dumont,
denominado o “pai da aviação”. Nas semanas anteriores, em confronto
direto, ele já havia superado a Irmã Dulce, grande missionária da
Bahia, e a Ayrton Senna, um dos maiores desportistas do Brasil e do
mundo.
Sabemos que tal homenagem pouco interessa a Chico, mas, afinal, não é
disto que se trata. Chico Xavier, pela sua vida extraordinária, deixou
de ser ele mesmo, para ser um dos maiores símbolos da Fé de todos os
tempos – e a verdade é que a Humanidade nunca esteve tão carente de Fé
quanto agora!
A vitória de Chico, tampouco, representa a vitória do Espiritismo.
Não, longe disto. A sua vitória foi a vitória da crença na
Imortalidade, da Bondade, da Honestidade, e, sobretudo, do amor a
Jesus Cristo – foi a vitória do Evangelho!...
Tem razão um confrade espanhol de Palma de Maiorca, na Espanha, Pedro
Vaquer, quando, no V ENCONTRO NACIONAL DOS AMIGOS DE CHICO XAVIER E
SUA OBRA, realizado em Votuporanga, Estado de São Paulo, considerou,
em sua fala brilhante, que Francisco Cândido Xavier bem poderia se
chamar “Caridade”!
Notemos que, desde a sua desencarnação, ocorrida em 2002, o Mundo
Espiritual vem trabalhando em torno do que o nome de Chico passou a
representar neste país, fadado a ser “Coração do Mundo” e “Pátria do
Evangelho”. Isto é profundamente sintomático, e tomara que todos nós,
adeptos da Terceira Revelação, compreendamos este recado do Alto, que
deixou de ser implícito para ser o mais explícito possível.
As Obras Mediúnicas da lavra de Chico Xavier devem ser incorporadas à
Codificação, porque, sem elas, o Espiritismo, de fato, não possui a
mesma amplitude doutrinária, que, a partir delas, adquiriu.
Mas, sobretudo, que não nos esqueçamos do que pode a vivência do
Evangelho, qual Chico o demonstrou ao longo de toda a sua laboriosa
existência de 92 janeiros, estabelecendo profundos laços espirituais
com toda uma Nação, que hoje o reverencia como a maior luz que nela já
resplandeceu.